Centro de Ensino Teológico Saber e Fé
Escrever

Escrever – conselhos e dicas

Tendo falado sobre livros e leituras, falaremos agora sobre escrita e como escrever, pois dificilmente fugiremos dessa obrigação de escrever, seja uma pequena carta, um artigo, uma tese universitária ou mesmo um livro. Se nos sentimos vocacionados para isto, então o desafio é maior. E muitos são os que sequer sabem por onde começar.

Então, o SENHOR me respondeu e disse: Escreve a visão e torna-a bem legível sobre tábuas, para que a possa ler o que correndo passa.” (Livro do profeta Habacuque 2.2)

Creio que escrever um livro é a experiência mais próxima ao dar à luz que um homem pode ter.” (John Stott, célebre autor cristão)

1. Ore

O grande pregador escocês Robert Murray McCheyne escreveu:

Entrega-te à oração e obtém os teus temas, os teus pensamentos e as tuas palavras de Deus.

Sim. Se é verdade que o Espírito nos ajuda em nossas fraquezas e limitações (Romanos 8.26) e se é verdade que Deus preparou boas obras para que andássemos nelas (Efésios 2.10), então nada mais coerente do que começar orando. Nossa dependência de Cristo não é sinal de fraqueza, e sim de força (João 15.5). Ore antes de começar a escrever. Renda-se a Deus e deixe que Ele guie sua vida em todos os sentidos.

2. Se você quer ser escritor, escreva

Por mais talento que você tenha, os textos não se escreverão sozinhos, e também não nascerão perfeitos. É preciso treinar e errar, corrigir e treinar de novo. Nada se conclui em um só dia, até Deus fez o mundo em seis. Poucos são aqueles que estreiam com êxito; a vitória é fruto do suor, mais do que do talento.

É preciso gastar tempo escrevendo, corrigindo, aperfeiçoando. É preciso ler bastante e renunciar momentos de lazer para se dedicar à arte de escrever. É preciso enfrentar o medo de não ser apreciado, de ter o seu texto desprezado e de ficar anônimo.

3. Faça um roteiro

Como dizia uma propaganda antiga: “quem lê, viaja”, e quem escreve também viaja, mas não sem um roteiro. Como um sermão, qualquer escrito precisa de um esboço prévio, seja um livro de 800 páginas ou um texto de uma página só. As ideias centrais precisam ser delineadas antes de se percorrer o caminho, elas são como os trilhos de um trem sem os quais ele não pode chegar ao seu destino.

Escrever se torna bem mais fácil quando você faz um esboço. Funciona como um esqueleto sobre o qual você colocará a carne, os nervos, a pele e por fim dará o sopro da vida. Quanto mais tempo gastar com o esboço, menos gastará com o restante.

 4. Seja claro

Nada de palavras rebuscadas e frases complexas. Nada de efeitos estilísticos para os quais você ainda não está preparado. Pense claramente antes de lançar sobre o papel o que pretende,  leia o que escreveu como se alguém tivesse escrito para você, e tenha certeza que entenderia se fosse o escrito de outro.

“Entre duas palavras, escolha sempre a mais simples; entre duas palavras simples, escolha a mais curta”, escreveu Paul Valéry, poeta francês. Por que dizer “tão somente” se pode dizer “apenas”?

Não use sentenças longas. Alguns escrevem sentenças tão longas que, quando se chega ao final, não se lembram de como começaram, então precisam voltar de novo e de novo até compreenderem. Por isso, aconselha-se o máximo de três linhas para a sentença, e alguns defendem até menos. Uma frase cheia de vírgulas está pedindo ponto. Por isso, trabalhe com uma ou duas ideias por vez em cada sentença.

5. Reescreva quantas vezes forem necessárias

Ao ler um texto, não se imagina que algumas frases foram refeitas diversas vezes. E é bem possível que o autor ainda não tenha ficado satisfeito com o resultado final.

Ernest Hemingway disse que reescreveu trinta vezes o último parágrafo de seu famoso livro Adeus às armas. Trinta vezes. E era o último parágrafo. O esforço valeu a pena, pois a obra se tornou best seller. Como disse Samuel Johnson, escritor inglês: “nada que é escrito sem esforço é lido com prazer”.

A preguiça é a primeira inimiga de quem escreve. Escrever leva tempo, e escrever bem leva mais tempo ainda. Trabalho e retrabalho são necessários para se fazer um texto. É como lapidar uma joia; e, se queremos que ela brilhe, nenhum esforço é demais. Portanto, não deixe que a pressa estrague seu rubi.

6. Depois de escrever, comece a cortar

É bem provável que seu texto esteja cheio de palavras, expressões, frases e sentenças inúteis; somos seres redundantes.  Escrever é cortar. É preferível um texto curto e bom a um longo e prolixo. Nossa tendência é repetir ideias, usar frases longas e palavras desnecessárias. A melhor coisa é estabelecer limites para o nosso texto.

Durante um tempo, escrevi para um jornal secular de São Bernardo uma coluna semanal denominada Fim de Papo. Tratava-se de crítica social e a editora do jornal limitou meu texto a 1436 toques. Eu escrevia o texto e depois me divertia, substituindo palavras, frases e cortando tudo o que era inútil. Foi um excelente exercício. Quando ofereceram espaço maior, recusei. É muito bom aprender a cortar. Experimente.

Claro que eu não disse tudo. Você descobrirá muito mais quando começar a escrever. Portanto, comece. O tempo surge e, com certeza, há pensamentos, projetos e visões em seu coração. Isto precisa tornar-se bem legível para os que passam correndo.

Comentário

  • Marcos A. Abreu
    Responder

    Ótimo artigo, Eguinaldo , as dicas me ajudarão a continuar tentando escrever, parabéns.

  • Ruth
    Responder

    Obrigada,foi muito útil.Espero que o senhor possa ler um exemplar de minha autoria.Deus o abençoe.